Esporte e Lazer

Edvaldo Erlacher

59 atletas e paratletas assinam termo de adesão ao Bolsa Atleta

Por Alcione Coutinho, postado em 12/06/2019
Fotos Lucas Calazans

A noite desta terça-feira (11) foi de muita comemoração para os 59 contemplados pelo Programa Bolsa Atleta 2019, referente à Lei de incentivo de Esporte – 5.974/2019. A assinatura do termo de adesão do projeto foi presenciada por familiares dos bolsistas que lotaram o Centro Cultural Frei Civitella, em Campo Grande. O programa beneficiará os atletas com uma ajuda de custo nos valores que variam de R$ 1.200 a R$ 6.000, divididos em seis parcelas. O valor total do investimento será de R$ 169 mil.

As bolsas disponibilizadas neste edital são para as seguintes modalidades: Judô, Handebol, Futebol 7, Futsal, Jiu Jitsu, Karatê, Kickboxing, Natação, Atletismo, Karatê, Xadrex, Remo Olímpico, Skate, Atletismo e Tiro esportivo. Os 59 atletas estão divididos em seis categorias: Bolsa Atleta Internacional, Bolsa Atleta Nacional, Bolsa Atleta Estadual, Bolsa Atleta Estudantil Estadual, Bolsa Atleta Universitário e Bolsa Paratleta.

“O desporto e o paradesporto são importantes para o município, por isso, prezamos por essa atuação junto aos atletas. A lei 5.974/2019 foi criada para valorizar e reconhecer o talento de nossos desportistas. Por isso, cabe ao município subsidiar esses talentos para que tenham uma carreira promissora”, destacou o secretário de Esportes, Edvaldo Erlacher. Segundo ele, o projeto já revelou modalidades que estavam no anonimato, como como o xadrez e o remo olímpico.

Veterana no Bolsa Atleta, a lutadora de Jiu Jitsu Jordana Lírio de Amorim, há três anos recebe o benefício. “Antes, trabalhava, estudava e me dedicava ao esporte. Depois que fui contemplada com o Bolsa Atleta, só estudo e treino. Fico, em média, cinco horas por dia nos treinos e, com essa ajuda, custeio os meus gastos, como por exemplo em competições”, ressaltou.

Outro que também é beneficiado com o projeto é o enxadrista Rodrigo Souza. O rapaz garante que com essa ajuda do projeto conseguiu chegar às competições internacionais. “Desde 2017 recebo essa ajuda de custo que é um estímulo para continuar no paradesporto”, disse.

banner